26 março 2007

Sempre gostei de animais




Sempre gostei de animais .
Desde criança ouço relatos contados pelos meus pais que ainda hoje me fazem pensar.
Ainda não falava, pronunciava simplesmente alguns ruídos, quando num daqueles passeios de domingo, estiquei o braço, com os olhos muito abertos, apontei para um animal de especíe canina e pronunciei com convicção « CÃO !« Eis a minha primeira palavra.
Não foi pai nem mãe…Mas sim CÃO !

Os anos foram passando e desenvolveu-se em mim uma ligação muito forte com os animais, em especial com o cão.

Perguntava-me muitas vezes : Será que reagem só por instinto ? Que tipo de linguagem, têem eles afinal ? Estarei a altura de ter um câo ? O que é preciso afinal para ter um cão? Reagem todos da mesma maneira?

Comecei a obter respostas.

Os cães são feitos de carne e osso como nós.
Têem uma capacidade neurofisiológica de experienciar o sofrimento e o prazer, seja físico, seja psicológico – seres sencientes.

Têm uma importância intrínseca e não meramente instrumental, como tantos da minha espécie o fazem crer. Mais: cada cão é dotado de individualidade, que torna cada um deles único, tal como os seres humanos podem ter personalidades tão distintas entre si.

Temos um compromisso perante o cão, respeita-lo.


« O simples facto de o meu cão gostar mais de mim do que eu gosto dele sempre me fez sentir alguma vergonha »
-Konrad Lorens

2 comentários:

Marta disse...

Seria tão bom que mais pessoas sentissem o outro(independentemente da sua especíe) com tanto respeito que tu sentes.
Adorei este artigo.Parabéns!

Elsy disse...

Ao vaguear pela net para perceber melhor o meu cão entrei no teu blog e adorei. Também adoro animais. Também desde pequena mantenho uma ligação especial com gatos e cães que nunca me desiludiram... já do ser humano não posso dizer o mesmo!
Bem hajas por pensares e sentires em prol dos animais.